Título original: An unexpected Grace
Endereços: Submarino | Orelha de Livro
Gênero: Ficção norte-americana
Páginas: 288
"O que se deveria fazer com a raiva? Não dava para queimá-la porque já era fogo. Enterrar não adiantaria porque cavaria o caminho de volta e iria atrás de você,  mais forte que nunca. Se você tentasse afogar, ela o sugaria para baixo d'água também. Parece que não havia como se livrar da raiva. Para o resto de sua vida, você teria que viver com aquilo, ou trabalhar em volta daquilo, ou fingir que não estava lá." Página 93
Desde que soube da publicação desse livro pela editora parceira Única, há um tempinho bom, senti um desejo enorme de realizar a leitura. Sou apaixonada por cachorros e essa imagem de uma golden retrivier na capa, com os olhos transbordando amor, junto com a sinopse e com a lembrança do cãozinho de liquidação Marley que já me fez chorar horrores, só me deixaram mais cheia de expectativa com o que iria encontrar. Por isso, tenho certeza que, se tivesse concluído a leitura no período do lançamento, teria me decepcionado muito feio. Pelo menos inicialmente, diante de alguns fatores de peso que nos parágrafos abaixo contarei pra vocês.

Um milagre chamado Grace, de Kristin Von Kreisler, nos conta a história de amor e superação de Lila Elliot,  uma mulher que apesar de trabalhar em uma firma de relações públicas, gostaria mesmo é de ganhar a vida pintando quadros exóticos com cores vibrantes que parecem sair da tela, e da cadelinha Grace, que apesar de ser completamente carinhosa e incapaz de machucar a uma mosca, sofreu muito nas mãos de seu antigo dono cruel que parecia sentir prazer ao maltratá-la das formas mais covardes possíveis. Suas vidas se esbarram, por assim dizer, a partir de um dia que tinha tudo para ser tão entediante como qualquer outro, se não fosse pela decisão de um dos empregados do serviço de Lila, que resolveu sair atirando em todo mundo, sem mais nem menos, transformando muitas vidas e presenteando a protagonista com cicatrizes dolorosas e sérias sequelas psicológicas. 


Lila me estressou durante boa parte da leitura. Juro que tentei compreender direitinho as suas atitudes depois de ter conseguido sobreviver à tragédia que matou vários de seus colegas de trabalho, porém não deixou de ser cansativo acompanhar a sua paranoia e obsessão pelo cara que lhe deu um tiro. Foi muito chato! Não teve uma hora sequer em que ela conseguisse parar de pensar no motivo de ter sido baleada ou na culpa que poderia supostamente ser sua. Sem falar que ela não podia sair para a rua sem ficar bisbilhotando atrás de árvores e arbustos, para ver se não havia um assassino em série escondido, esperando o momento certo para lhe atacar. Podem imaginar isso? Ver a protagonista tão medrosa e frágil assim me deixou em uma pilha de nervos borbulhante, porque a visão que tinha do livro não era essa nem de longe. Foi uma surpresa bem tensa!

Estou em uma relação de amor e ódio com essa história. Sério, bastante dividida mesmo e com uma dificuldade enorme para escrever sobre essa leitura justamente por isso. Não esperava me irritar tanto com a protagonista Lila ao ponto de cogitar abandonar a leitura exatamente na metade do livro, desejo que até então nunca passou pela minha cabeça de maneira tão forte. Mas o divino deve ter escutado as minhas reclamações, porque logo após chegar a um pouco mais da metade da trama, as coisas melhoraram e muito. Bateu até um arrependimento leve por ter tido esse pensamento que quase levou a uma atitude idiota, diante dos ensinamentos que não teria como conferir.  


Um milagre chamado Grace transmite mensagens importantes ao leitor, tais como a força que o ressentimento pode ter sobre nós se permitimos que ele tome a frente da nossa vida, o caminho árduo que é necessário percorrer para se alcançar a cura de uma alma machucada pelas imprevisibilidades da vida e do poder que o amor verdadeiro possui sobre quem se deixa envolver por ele. Como devem ter percebido, essa foi uma leitura cheia de altos e baixos pra mim, mas até que no final valeu a pena. Mesmo não tendo me emocionado como pensei que fosse.


Sobre os dados técnicos, a narrativa é feita em terceira pessoa, os capítulos são curtos, os diálogos são marcados por aspas (o que estranhei bastante no começo), as páginas são amareladas, a fonte possui um tamanho mediano e a diagramação tem um detalhe especial em cada primeira folha de capítulo, que me lembrou bastante pelo de cachorro ou um símbolo do infinito incompleto, com as pontas que deviam formar o resto do oito deitado, abertas e enormes. O título da capa tem uma textura especial e gostosa ao toque, diferente do subtítulo e do nome da autora. Esse foi o meu primeiro contato com a Kristin Von Kreisler e até que gostei da sua escrita, que de um jeito aparentemente involuntário traz referências aos animais, para qualquer situação. Achei isso bem hilário, pois ficou claro o amor que ela nutre pelos bichinhos. E, claro, em uma escala de zero a cinco, essa leitura levou três. Recomendo para quem tem paciência com protagonistas nojentinhas e quer conhecer uma história bonita, metaforicamente falando, de uma rosa que nasceu em meio a tantos espinhos.

35 Comentários

  1. Amiga já foi resenhado esse livro em meu blog, mas eu ainda não tive chance de ler, porque eu preciso me preparar para fazer a leitura, porque disseram que é bem triste e ao mesmo tempo lindo. Mas olhando a sua resenha agora fiquei ainda mais tocada, porque me lembrei do cachorrinho que abandonaram em frente ao meu portão. Fiquei com uma dó danada, porque tem gente sem coração que faz isso e depois deixa o bichinho a própria sorte. Enfim...Mas olha um livro que estou querendo ler e que li em ebook uma prévia é PERDAS E DANOS que está ao lado ai com os banners da Arqueiro. Esse é um que ando bem interessada.

    Espero que esteja bem e que continue trazendo ótimas resenhas para todos nós
    =]

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/04/resenha-se-joga.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, amiga! Ah, acho que eu lembro. Ele é sim, mas o que pegou pra mim foram os detalhes que comentei na resenha. O que foi uma pena, porque a Grace é uma fofura de cadela.
      Jura, cara? Que povo sem alma!
      Um beijo!

      Excluir
  2. Oi Jeni !
    Minha amiga já leu este livro e me encheu muito saco por causa dele kkkk muito spoiller . Só que vi que vocês duas tem uma mesma visão da Lila =/ . Um livro que não me incentivou a ler . capa sem graça sei lá . Mas quem sabe eu leia neh .
    Beijos

    Leticia
    Nossas paixões ops ' nossos livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leticia! Mentira? Que malvada a sua amiga! Hahuahuahu.
      Olha, pelas mensagens que ele transmite, a leitura é bem válida. Fora que a Grace é uma cadelinha puro amor. O que pegou, pra mim, foi a Lila durante parte da história, como comentei na resenha.

      Um beijo!

      Excluir
  3. Oi Jeni,
    Ai compraria esse livro pela capa, pelas razões que você citou pelo seu interesse na leitura.
    Que vontade de apertar esse dog.

    Uma pena que a protagonista decepciona em alguns pontos, mas se ainda salva pela metade merece uma chance. Fiquei curiosa e espero não chorar hahaha

    Ótima resenha.

    bjs e tenha um maravilhoso domingo =D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nana! Grace é uma lindinha mesmo!
      Sabe, concordo com você. A história é bonita, embora tenha alguns detalhes que me incomodaram.
      Um beijo e muito obrigada!

      Excluir
  4. Oi Jeni, tudo bom?

    Esse livro já me ganhou pela capa, depois da resenha fiquei maluca pra ler! Confesso que não sou muito fã de livros ou filmes que tem cachorros pelo motivo de achar que todos eles são um pouco tristes, mas existem alguns que me deixam curiosa. Adorei o blog e a resenha! Parabéns <3

    Beijocas,

    Ana - Bookzonthetable
    www.bookzonthetable.com.br
    @bookzonthetable Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana! Tudo ótimo e com você?

      Ah, que bom saber disso. Muito obrigada! Talvez em breve tenha sorteio de um exemplar desse livro por aqui.

      Um beijo!

      Excluir
  5. Não conhecia esse livro, mas me encantei pela resenha
    Parece ser um livro bem reflexivo e forte que nos faz pensar bastante sobre a vida
    Parabéns pela resenha
    Já estou seguindo ;)

    Beijos
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Angela! Puxa, que bacana!
      Muito obrigada!

      Um beijo!

      Excluir
  6. Adorei a resenha. Não conhecia o livro. Também amo cachorro, embora amoo mais gatos.
    Eu acho que vou gostar bastante. Acho que o livro que desperta o sentimento de amor e ódio sempre é um livro muito bom kkk.
    Adorei
    Beijos

    Coleções Literárias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Puxa, fico muito feliz em saber disso e de ter apresentado ele a você. Sério que gosta mais de gatos? Tenho um pouquinho de medo deles.
      Talvez em breve tenha sorteio de um exemplar por aqui, então fique ligadinha, hein?
      Um beijo!

      Excluir
  7. Gostei da resenha Jeni. Este livro parece ser tão fofo e este totó da capa é tudo de bom! Não imaginava que a obra se focava mais nos traumas e ressentimentos da Lila, acredita? Mas a leitura vale a pena só por presenciar toda a doçura de Grace! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vanessa! Muito obrigada! Fico feliz que tenha gostado.
      Grace é uma linda! Fiquei com vontade de apertá-la quase todo o tempo.
      Acredito sim, porque pra mim foi uma surpresa!
      Um beijo!

      Excluir
  8. Apesar de gostar bastante de livros com animais, esse foi um livro que não me interessou. Quem sabe eu mude de ideia, mas no momento não tenho vontade de ler.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil! Ah, eu entendo. Temos tantos livros desejados pra ler, né? Só espero que você tenha a oportunidade de conhecer Grace!
      Um beijo!

      Excluir
  9. Com a protagonista, até acho que eu teria paciência. Acho completamente compreensível o medo e a paranoia depois de um colega de trabalho ter feito uma coisa dessas. O que realmente me irritaria nesse livro seriam essas aspas no lugar dos travessões, não tenho a menor ideia do que passa na cabeça de quem faz isso com um livro. Mas que bom que apesar do livro não ter sido o que você esperava te apresentou belos ensinamentos!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ju! Sério, cara? Comigo já foi ao contrário! No começo estranhei o uso das aspas, mas depois até acostumei.
      Um beijo!

      Excluir
  10. Olá,
    Pelo visto é pegar o livro e uns lencinhos hahaha
    Olha, quando tem cachorro no meio, pode ser aquelas histórias felizes, que eu vou chorar de uma forma ou de outra kkkkk
    Obrigada pela indicaçao, não conhecia esse livro. Vou anotar, com certeza.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Não cheguei a chorar, mas quem sabe com você seja diferente, né? Hehe.
      Isso é verdade! Dogs nas histórias são sacanagem do autor. É apelativo! Hahuahua.
      Não tem de quê! Espero que tenha a oportunidade de conhecer Grace!
      Um beijo!

      Excluir
  11. Hey, tudo bem?

    Que pena que a protagonista te irritou ao ponto de fazer você querer abandonar a leitura. Sinceramente, acho que esse é o principal fator pelo qual eu não leria a história. Não tenho muita paciência com personagens que já começam o livro me irritando e mesmo que depois ela melhore eu ainda teria essa sensação amarga sobre ela, e consequentemente não aproveitaria tanto os valores que o livro passa da metade para o final, acabaria me frustando.

    Beijos,
    Dois Dedos de Prosa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabby! Tudo ótimo e com você?
      Ah, entendo completamente a sua posição. Mas, como disse, da metade em diante do livro, ela começa a amadurecer e podemos focar nos ensinamentos que a autora quer passar pra nós. É uma leitura válida, no final das contas.
      Um beijo!

      Excluir
  12. Oi Jeni!
    Eu também sou assim, mesmo querendo abandonar o livro, eu vou até o final! E, viu, valeu a pena dessa vez, né? :)
    Esse cachorro na capa é muito fofo mesmo, eu adoro cachorros e só pela capa leria o livro!

    Beijos,
    Fernanda
    www.oprazerdaliteratura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Fernanda! Valeu sim! Nunca abandonei um livro até hoje e não pretendo fazer isso nem tão cedo.
      Grace é um amorzinho! Precisa conhecê-la, hein?
      Um beijo!

      Excluir
  13. Tenho um problema.. não gosto de livros, nem filmes, que tenham animais como personagem principal...kkkk
    Vai entender..kkkk... Mas achei sua resenha bem legal!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Sério? Nesse caso, Lila divide o centro das atenções com a Grace, rs.
      Muito obrigada! :)
      Um beijo!

      Excluir
  14. Oiii
    Embora seja cheio de lições lindas, eu não teria continuado a leitura, pois é...
    Se um livro me estressa nos primeiros 5 capítulos, eu abandono, por mais que o final seja bom, eu não consigo persistir para saber. Não sei porque.
    Dessa fez vou deixar passar a dica hahaha

    Beijos ;*
    Proseando com uma BibliophileFacebook

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Thaysa! Muitas pessoas não teriam, então compreendo.
      Um beijo!

      Excluir
  15. Ehr... eu não curti muito o livro. Ainda mais com a sua resenha dizendo que você teve momentos de ódios e amor... kkkkkkkkkk... Eu não consigo ser tão bipolar assim... se um livro faz eu me sentir assim eu abandono ele. T^T
    Ehr... eu sei... eu sou um pouco estranho.

    www.sonhosemtinta.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kim! Ah, faz parte. Compreendo a sua opinião!
      Um beijo!

      Excluir
  16. livros com cachorros na capa realmente não me chamam a atenção... mas toda leitura é válida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Matheus! Ah. Tenho certeza que gostaria de Grace! =)
      Um beijo!

      Excluir
    2. Oie Jeni
      já comentei no meu blog, que eu corro de leituras com cachorro. Não é por não gostar, mas sempre o cachorrinho sofre, ou é algum tipo de animal super esperto e sensitivo, o que acaba não me conectando à trama. Fora o fato de não ter paciência para protagonistas que me tiram do sério.
      É uma leitura que eu passo, mas a sua resenha foi bem esclarecida.
      bjos
      www.mybooklit.com

      Excluir
  17. Olá Jeni,
    eu tenho este livro, mas nunca parei para ler a sinopse, e hoje entro aqui e encontro está resenha que logo me faz despertar o interesse que antes não tinha.
    Eu sempre dou uma chance a leituras que mexem com o leitor, que faz refletir e ficar, quem sabe, horas pensando sobre o assunto. E este tem uma premissa que eu adoro, alem do animal que faz parte da construção da história e superação da personagem.
    Com certeza, agora, vou ler.
    Parabéns pela resenha!

    PS: A Capa é a coisa mais fofa <3

    Beijokas Ana Zuky
    SA Revista

    ResponderExcluir
  18. Jeni, eu amo assistir filmes relacionados a animais, mas já não tenho a mesma paciência para livros. Com uma personagem tão paranoica assim, com certeza eu abandonaria a história. Engraçado que a capa nos dá a impressão de ser uma história emocionante e bem-humorada. Realmente não devemos julgar o livro pela capa!

    Beijinhos!
    www.citacaonumclick.com.br

    ResponderExcluir

Gostou de alguma postagem? Deixe o seu comentário. Com esse pequeno gesto você vai me deixar muito feliz. Aliás, sempre respondo a todos. Se quiser conferir a minha resposta, é só voltar ao blog. Será sempre bem vindo por aqui.